Às vezes, quando as coisas estão mais difíceis, penso, “porque é que isto só me acontece a mim ??”. Dá uma sensação de isolamento, um sentimento de que estamos sós a lutar contra o mundo e parece que apenas a nós nos acontecem certos problemas. Mentira, claro. Os freelancers já são alguns milhões e sofrem quase todos com o mesmo tipo de problemas.

Para não me sentir tão só, resolvi googlar há procura de informação sobre quantos freelancers existem no mundo. Uma pergunta um pouco exigente, mas consegui encontrar alguns dados sobre alguns países. Sobre Portugal não consegui encontrar nenhuma informação.

As estatísticas sobre a realidade dos profissionais freelance, servem para que outros profissionais que queiram trabalhar nesse regime, percebam que não estão sós e que já muitos contribuem para a economia global.

Ser freelance é uma tendência mundial, com maior ou menor incidência num ou noutro país, talvez por causa dos millenials, das crises financeiras globais, dos nómadas digitais, das alterações nos mercados de trabalho, do crescimento exponencial do digital ou por tudo isto em simultâneo.

Rotular o que quer que seja é complicado, mas tentámos identificar 5 tipologias diferentes de trabalho freelance.

Compilámos umas estatísticas sobre freelancers nos EUA, Reino Unido e em alguns países europeus, para se ter uma ideia de como esta tendência está a evoluir por todo o mundo.

EUA

O relatório “53 milhões” do site “The Freelancers Union” contém resultados de dados da pesquisa mais abrangente da força de trabalho independente dos EUA em quase uma década. Aqui estão algumas das principais estatísticas do relatório:

  • Existem 53 milhões de profissionais a desenvolver trabalho como freelancers, 34% da força de trabalho nacional nos EU.
  • Os freelancers contribuem com cerca de $715 bilhões de dolares para a economia americana.
  • 80% dos profissionais que não são freelancers têm a intenção de fazer trabalhos fora do seu emprego para ganhar mais dinheiro.
  • Facturar mais dinheiro por mês e a flexibilidade de horários, são os principais impulsionadores para se tornarem freelancers.
  • Encontrar trabalho e estabilidade financeira são as principais barreiras para os profissionais se tornarem freelancers.
  • 69% dos freelancers dizem que a tecnologia tornou mais fácil encontrar trabalho.
  • 77% dos freelancers acreditam que melhores dias ainda estão para vir.
  • 65% dizem que a carreira de freelance é mais respeitada hoje do que há 3 anos atrás.
  • 36% dos “moonlighters” (trabalhadores com primeiro emprego que fazem trabalho freelance extra) pensaram abandonar o trabalho em empresa para serem totalmente independentes.

 

UK

No Reino Unido o Professional Contractors Group estima que:

  • Existem 1.4 milhões de freelancers espalhados por diversos sectores de actividade.
  • Um crescimento de 14% na última década.
  • Os freelancers no Reino Unido contribuem com 21 biliões de libras esterlinas para a economia do país.
  • 78% dos britânicos acreditam que o trabalho de freelance e a flexibilização do trabalho podem promover a qualidade de vida e o equilíbrio entre trabalho e lazer.
  • 72% acreditam que ser freelance traz aspectos positivos à vida familiar.

 

Segundo um relatório do site de oferta de trabalhos para freelancers Elance:

  • Em 2013, o número de empresas que contratou trabalho freelance subiu 46%.
  • Pagamentos a freelancers tem subido 37% por ano.
  • O custo do preço hora pago subiu 6.7% em 2014.
  • A maioria de trabalhos freelance contratados online são de IT e programação com 41%, design e multimedia 24%, escrita e tradução 18%.

 

Um relatório da “Gen Y and Freelancing” analisou a transformação das aspirações de carreira dos alunos finalistas e de como isso pode afectar os negócios e as empresas. Aqui estão alguns resultados desse relatório:

  • Ser freelance é agora visto pelos estudantes como uma carreira atractiva e lucrativa por 87% dos estudantes universitários.
  • 21% dos licenciados disseram que já tinham decidido trabalhar como freelancers.
  • 29% de todos os licenciados disseram que ser freelance faz parte dos seus planos de carreira para os próximos 5 anos, um facto que reforça a tendência de crescimento da economia freelance no UK.
  • A flexibilidade oferecida pela carreira de freelance é apontada como o maior apelo, e 69% dos inquiridos acreditam que a qualidade de vida e o equilíbrio entre trabalho e lazer é muito maior na carreira de freelance.
  • A oportunidade de trabalhar em projectos diferentes e em diferentes sectores empresariais também é bastante apelativo para 38% dos inquiridos.
  • 38% dos questionados acreditam que podem ganhar tanto ou mais do que ganhariam trabalhando em empresas.

 

EUROPA

De acordo com o relatório “Future Working: The Rise of Europe’s Independent Professionals”, a economia freelance na europa está assim:

  • O número de freelancers aumentou 45%, de 6.2 milhões para 8.9 milhões em 2014, fazendo deste grupo aquele que tem tido um crescimento mais rápido na união europeia.
  • Espanha e Eslováquia têm ambos uma percentagem de 13% de freelancers.
  • Itália tem 21% de frelancers.

 

E você, já equacionou uma carreira como freelance ?